Fibras, Fibras Solúveis E Fibras Prebióticas

Beta Glucana de Aveia (β-Glucana de Aveia)

A beta-glucana é uma fibra solúvel presente naturalmente na aveia.

Colesterol alto é um dos principais fatores de risco no desenvolvimento de doenças cardíacas coronárias. Diversos estudos científicos demonstram que a β-Glucana de Aveia reduz os níveis de colesterol no organismo devido ao aumento da viscosidade nos intestinos, reduzindo a absorção de gorduras, colesterol e ácido biliar no trato digestivo. Isso leva a um coração mais saudável e menor risco de doenças cardíacas.

A β-Glucana de Aveia reduz também a resposta glicêmica e os níveis de açúcar no sangue, por ser uma fibra solúvel viscosa e com alta capacidade de retenção de água, aumentando a sensação de saciedade. Além disso, por ser uma fibra de baixa caloria, pode ser adicionada em formulações alimentícias de baixa energia visando perda de peso.

Diabetes tipo 2 é um factor de risco cardiovascular de primeira ordem e que, com muita frequência, se associa ao excesso de peso e à obesidade. Mais de 34 estudos realizados em pacientes diabéticos ou em sujeitos sãos demonstraram a capacidade reguladora da glicemia e da insulinemia pela beta-glucana de aveia. Isto se deve a sua capacidade de incrementar a viscosidade do bolo intestinal, o que contribui para retardar a absorção de glucose, reduzir os picos de glicemia e diminuir a secreção insulínica.

Adicionalmente, a β-Glucana de Aveia melhora a função intestinal e promove a saúde digestiva.

Diversos alimentos e bebidas podem ser preparados com β-Glucana de Aveia, como bebidas em pó para consumo imediato, guarnições, cereais, produtos panificados, bolos, sobremesas saudáveis, entre outros, conferindo mais saúde à rotina alimentar.

Fruto-oligossacarídeos (FOS)

Os Fruto-oligossacarídeos (FOS) são carboidratos (oligossacarídeos) obtidos por processo de fermentação natural por microrganismos a partir da molécula da sacarose, onde são ligadas de 1 a no máximo 3 moléculas de frutose, em cadeia linear.

As moléculas de FOS resistem à digestão (não são metabolizados pelo organismo humano devido às ligações glicosídicas do tipo β 2-1, que não são quebradas por nossas enzimas) e por isso apresentam baixo valor calórico, apenas 1,5 Kcal/g.

O FOS é um dos mais eficientes prebióticos, uma vez que promove seletivamente o crescimento dos probióticos (bactérias benéficas como as bifidobactérias e os lactobacilos). Essa característica faz com que o FOS promova uma série de benefícios à saúde humana, desde a redução de colesterol, maior absorção de cálcio e magnésio, auxílio na prevenção de alguns tipos de câncer e melhora do processo digestivo.

São utilizados também como adoçante, devido ao sabor levemente adocicado (cerca de 30% tão doce quanto a sacarose). Além de possuir sabor doce agradável e poucas calorias, os Fruto-oligossacarídeos (FOS) não elevam os níveis de açúcar no sangue, podendo ser consumidos por diabéticos.

O FOS está associado ao bom funcionamento do sistema digestivo, uma vez que é metabolizado pelas bactérias probióticas no intestino grosso, promovendo o aumento do seu número e consequentemente o aumento da síntese de vitaminas por estas bactérias benéficas, redução de inflamações dos tecidos intestinais, redução do número de microrganismos putrefativos e patogênicos.

Os Fruto-oligossacarídeos são facilmente encontrados na NATUREZA em plantas e frutas como banana, alho, cebola, centeio, trigo etc.

São fibras alimentares prebióticas largamente utilizadas na indústria alimentícia, farmacêutica e de nutrição animal como ingrediente nutracêutico e funcional.

Galacto-oligosacarídeos (GOS)

Os GOS (Galacto-oligosacarídeos) são fibras prebióticas (que promovem o crescimento de microrganismos probióticos como as bifidobactérias e os lactobacilos) naturais e estão presentes no leite de mamíferos, principalmente no leite humano. São produzidos comercialmente a partir da transgalactosilação da lactose com uso da enzima β-galactosidase.

A associação dos benefícios dessas fibras junto à microbiota intestinal humana, sua influência junto ao metabolismo e incremento no número de bifidobactérias e a consequente inibição de bactérias patogênicas, é apontada como a nova fronteira para desenvolvimento de produtos lácteos funcionais.

Os efeitos benéficos do GOS no trato gastrintestinal incluem modulação do sistema imune através das propriedades antiadesivas que indicam possíveis reduções nos riscos de câncer no cólon, vantagens digestivas como a regulação do trânsito intestinal, ganhos nutricionais com maior  absorção de minerais desejáveis (principalmente cálcio e magnésio), estímulo ao metabolismo de carboidratos e lipídios, redução do risco de intolerância à lactose, baixo valor calórico, baixo teor de açúcares, entre outros. Os GOS são mais efetivos se associados a culturas probióticas, formando uma combinação sinérgica com algumas espécies de bifidobactérias e lactobacilos. Esta combinação de prebióticos e probióticos é chamada de simbiótotica.

Considerado como ingrediente funcional, o GOS é utilizado em alimentos, fórmulas infantis para lactentes, rações animais, fármacos e cosméticos, e em associação com microrganismos probióticos fornece muitos benefícios para a saúde humana.

Goma Acácia (Arábica)

Composta por polissacarídeos e glicoproteínas, é uma goma extraída de duas espécies de acácia da região subsaariana, mais especificamente das espécies Acácia Senegal e Acácia Seyal.

A Goma Acácia é exsudada naturalmente e extraída após uma incisão na árvore acácia, tornando sua colheita totalmente natural e sustentável. Tem boa solubilidade em água.

É utilizada em um grande número de produtos utilizados diariamente, como vinhos, doces, cosméticos, confeitaria, refrigerantes e aromatizantes. Pode ser usada como agente de revestimento em confeitos, agente emulsificante e estabilizante em bebidas ou como fibra em produtos dietéticos.

É também utilizada para fabricação de cola e tintas de escrever, na indústria farmacêutica é utilizada como espessante para xaropes, para confeccionar cápsulas e recobrimento de comprimidos.

Xilo-oligossacarídeos (XOS)

Os XOS (Xilo-oligossacarídeos) são carboidratos (oligômeros formados por unidades de xilose, ligadas entre si por ligações glicosídicas do tipo β 1-4) naturalmente encontrados em madeira, milho, casca e farelo de cereais, por exemplo. Possuem baixa caloria por não serem metabolizados pelo organismo humano. São considerados prebióticos, pois promovem seletivamente o crescimento de microrganismos probióticos (como as bifidobactérias e os lactobacilos) no intestino grosso humano. O consumo regular de XOS confere uma série de benefícios à saúde, como por exemplo:

  • Promove o equilíbrio da flora intestinal, aumentando o número de bactérias benéficas e reduzindo o número de microrganismos indesejáveis e patogênicos
  • Alivia desordem intestinal, prevenindo constipação e diarréia
  • Mantém a saúde digestiva e combate a Síndrome do Intestino Irritado
  • Aumenta a absorção de cálcio, ferro, outros minerais, vitaminas e nutrientes
  • Reduz níveis de açúcar e colesterol no sangue
  • Reduz risco de pressão alta e doenças cardíacas
  • Reduz o risco de infecções gastrointestinais e câncer no intestino
  • Prevenção de cáries dentárias

Conhecido no mercado como SUPER PREBIÓTICO, por ter a menor dosagem diária recomendada entre os prebióticos, o XOS possui maior estabilidade à temperatura e ao pH em relação aos demais oligossacarídeos, facilitando a diversificação de seu uso em alimentos e bebidas funcionais.

O XOS é utilizado em suplementos, alimentos, bebidas, nutrição animal e também na indústria farmacêutica.

Polidextrose (fibra solúvel prebiótica)

Com apenas 1 Kcal por grama (valor calórico 75% inferior ao do açúcar), esse ingrediente funcional pode ser utilizado como substituto para os açúcares e mesmo para a gordura em certas aplicações.

Além de atuar como um agente de corpo, aumenta o teor de fibras solúveis do produto final, permitindo um apelo saudável e “Fonte de Fibras” ou “Rico em Fibras”, dependendo da concentração utilizada.

A Polidextrose atua também como prebiótico, servindo como nutriente seletivo para a nossa microflora intestinal benéfica (bifidobactérias e lactobacilos), aumentando seu número e consequentemente trazendo diversos benefícios para a saúde, incluindo o aumento da absorção de minerais, melhor funcionamento intestinal e diminuição do risco de doenças causadas pela ação de microrganismos nocivos / patogênicos.

Isomalto-oligossacarídeos (IMO)

Isomalto-oligossacarídeos (IMO) são fibras prebióticas compostas por uma mistura de carboidratos de cadeia curta, resistentes à digestão pelo trato digestivo humano. Os IMO são encontrados naturalmente em alimentos fermentados, como missô de arroz, molho de soja e saquê.

Os IMO são carboidratos capazes de chegar praticamente intactos ao intestino grosso, onde são metabolizados pelas bifidobactérias e lactobacilos ali presentes, estimulando o seu crescimento e proporcionando efeitos benéficos à saúde (por isso são considerados prebióticos). O IMO retém umidade, produzindo um efeito de volume no bolo fecal e ajudando a aumentar a motilidade no intestino e melhorar seu funcionamento.

Os IMO são oligômeros de glicose com ligações α-D-(1,6), incluindo a isomaltose, panose, isomaltotriose, isomaltotetraose, isomaltopentaose, nigerose, kojibiose e oligossacarídeos ramificados mais elevados. Embora as enzimas intestinais humanas consigam digerir prontamente as ligações glicosídicas tipo α (1,4), as ligações α (1,6) não são facilmente hidrolisadas, por isso são resistentes à digestão. Portanto, o IMO é apenas parcialmente digerido no trato gastrointestinal superior.

Estudos em animais mostraram que o IMO, no lugar da sacarose, reduz a quantidade de placa bacteriana formada e também reduz a quantidade de ácidos que atacam o esmalte do dente. Portanto, ao IMO atua também como um agente anti-cárie.

Os principais usos do IMO são em produtos láteos, panificação, barras de cereais, como substituto de açúcar, petiscos, energéticos, sucos, alimentos funcionais, suplementos e ração animal.